O médico de família é um profissional capacitado para conhecer e acompanhar a pessoa por toda a vida, dentro do contexto e das complexidades de cada faixa etária. Isso quer dizer, que este profissional é capacitado para acompanhar o individuo desde as primeiras consultas após o nascimento, seu crescimento e desenvolvimento, até chegar à idade adulta e à terceira idade.

Parte importante de uma equipe multiprofissional

A princípio, o médico de família, pode lidar com até 80% dos problemas de saúde mais comuns. Neste contexto, ele tem o papel de diagnosticar fatores de risco à saúde e fornecer orientações para manutenção do seu estado atual e/ou para prevenção de doenças. Para isso, leva

Veja mais:

Primeiros meses do bebê: O que esperar e no que ficar de olho
Hebiatria é a parte da medicina que cuida da saúde dos adolescentes

em conta fatores importantes como o ambiente onde você vive, atividade laboral e os hábitos da sua família, bem como seus objetivos pessoais de qualidade de vida. E, se for algo mais específico, o médico de família (também conhecido como clínico geral ou médico generalista) indicará um especialista.

Papel de destaque na assistência em saúde

Promoção e educação são aspectos que fazem muita diferença quando se fala em viabilização da assistência em saúde. Afinal, uma população bem instruída nesse sentido tende a ficar cada vez mais afastada de doenças – o que é sempre positivo. Assim, a figura do médico de família também contribui para o alcance de um sistema de saúde mais sustentável, baseado na prevenção da saúde e não no tratamento de doenças.

Veja mais:

Você busca assistência médica no “Dr. Google”? Essa pode não ser uma boa ideia
Você conhece os riscos da automedicação?

Só por isso a atuação do médico de família já é digna de grande valorização, mas há pontos ainda mais importantes que merecem ser destacados: o cuidado integral com o indivíduo, melhor entendimento do que é qualidade de vida dentro de determinado contexto social e melhores chances de sucesso no tratamento, graças a um maior vínculo com o paciente.
Vale mencionar, ainda, que buscar atendimento com um médico de família antes de partir para um especialista logo de cara, pode evitar muita complicação no atendimento, principalmente quando a gente pensa na rotina dos hospitais – que entrariam em cena apenas em caso de emergência ou de grande complexidade. Assim, valorizar o médico de família implica em valorizar a própria assistência em saúde.
Lembrando que a Care Plus conta com o programa Orientação Médica 24 horas, que deixa uma equipe médica de plantão para atender aos beneficiários durante todo o dia e toda a noite, inclusive aos finais de semana e nos feriados.

8 bons motivos para ter um médico de família

1. Preocupação com você e não com um conjunto de conhecimentos científicos;
2. Capacidade para lidar com as mais variadas queixas;

Veja mais:

3 programas de planos de saúde que ajudam diminuir os gastos da empresa
Profissional de RH: como gerenciar o uso do plano de saúde na empresa?

3. Maior disponibilidade, o que reduz riscos com um possível autodiagnóstico ou, pior, com automedicação;
4. Compromisso sem prazo definido: a ideia é cuidar da sua saúde como um todo e não apenas de uma doença específica;
5. Entendimento do que se passa com você dentro de um contexto pessoal, familiar e social, o que gera mais empatia no atendimento;
6. Orientação em saúde com o objetivo de educar, de ajudar você a prevenir doenças, e não simplesmente se livrar de um problema;
7. Melhor aproveitamento de recursos como tempo e dinheiro: você não vai passar de médico em médico ou fazer um monte de exames até encontrar uma solução para o que está sentido;
8. Histórico médico confiável, o que torna o próprio diagnóstico mais preciso e aumenta as chances de sucesso de um possível tratamento.

Quer ver dicas de saúde? Veja mais no blog da Care Plus e assine o canal da Care Plus no Youtube.