Em dias de calor intenso, pode reparar, sensações como irritação, cansaço, dores de cabeça e tontura aparecem mesmo sem ter um motivo aparente. Principalmente quando a gente passa o dia todo na rua, sem o contato com a brisa refrescante de um ar-condicionado. Essas são características de uma condição conhecida como estresse térmico, que mexe com o nosso bem-estar em tempos de temperaturas nas alturas.

Veja mais:

Para curtir o verão não se esqueça desses cuidados essenciais
Quais são os cuidados para quem pratica atividade física

No calor a gente relaxa...

Era isso o que imaginava um grupo de cientistas da American Physiological Society, em São Diego, nos Estados Unidos, até que descobriram que nos dias mais quentes o incômodo da sensação de calor provoca uma maior secreção de cortisol, o hormônio do estresse. Por isso, ao contrário do que parecia, a tendência é que a gente tenha dificuldade para relaxar nos dias mais quentes.
Pesquisadores da Universidade de Ciências Médicas de Poznan, na Polônia, chegaram à mesma conclusão em um estudo que analisou um grupo de alunas de medicina em dois dias distantes no inverno e dois no verão. Com os resultados dos testes, os cientistas mostraram que os níveis de cortisol são bem mais altos no verão. E isso, por si só, já justifica aquela irritabilidade aparentemente sem motivo que sentimos com o calor.
Lembrando que, além da temperatura ambiente, fatores como doenças crônicas, falta de sono, estresse e uso de certos medicamentos também podem afetar os níveis de cortisol, provocando os mesmos sintomas do calor intenso. Vale ficar de olho!

 

O que o calor faz com o corpo

Existe no nosso organismo um centro regulatório que mantém uma temperatura estável, adequada para o trabalho do metabolismo. Esse centro regulatório conta com vários recursos para dissipar o calor excessivo. Suor e a vasodilatação são exemplos.
Quando a temperatura do ambiente está quente demais, esses recursos nem sempre são suficientes para manter um nível normal de temperatura para o bom funcionamento do corpo. E é essa falta de regulação que cria os sintomas do estresse térmico.
Vamos saber mais sobre alguns efeitos do calor no nosso corpo:
A vasodilatação reduz a pressão arterial, gerando a sensação de tontura e cansaço;
O excesso de suor leva à desidratação, causando dores de cabeça, boca e pele secas, tonturas ao se levantar ou sentar rápido demais e até desmaios;
A perda acelerada de eletrólitos pelo suor mais intenso pode levar a câimbras, especialmente durante a prática de atividade física;
A ativação do centro regulatório de temperatura corporal durante o sono não deixa o corpo descansar como deveria e há sensação de cansaço e exaustão pela manhã.

Veja mais:

Tecnologia em saúde: como usar aplicativos para prevenir doenças
5 dicas para tornar o seu treino mais eficiente

Quem sofre mais com o calor?

Pessoas que estão se recuperando de algum problema de saúde, praticantes de atividade física, idosos, gestantes e crianças. Isso porque o centro regulatório de temperatura do corpo delas pode demorar ainda mais para se adaptar ao calor.
Com isso, os sintomas do estresse térmico podem ser ainda mais graves, com perda da consciência, convulsão (por perda excessiva de eletrólitos), tetania (tremores, paralisias e dores musculares) e até o coma.
Para se prevenir, vale ter atenção especial com a hidratação. Além de tomar bastante água durante o dia e a noite, é importante repor os eletrólitos com a ingestão de bebidas isotônicas (a água de coco é um exemplo). Também é importante buscar locais mais frescos (especialmente quando for praticar atividade física) e, quando não houver ar-condicionado, manter as janelas e portas abertas para a circulação do ar.

Quer mais dicas de saúde? Continue a navegação pelo blog da Care Plus e assine o canal da Care Plus no Youtube.