De acordo com o Ministério da Saúde, a meditação é um caminho para quem busca tranquilidade e qualidade de vida e tem efeitos práticos sobre a saúde. Afinal, quem medita é mais compassivo e apresenta um maior autocuidado, com melhora de hábitos. Mas não é só isso. Já está comprovado que a meditação pode mudar a plástica do cérebro, trazendo transformações importantes na forma como o organismo funciona.

Veja mais:

7 dicas de como cuidar da saúde mental
Saiba porque a ansiedade vai muito além do emocional

Meditação é integração em saúde

Práticas integrativas à medicina convencional são recursos terapêuticos baseados em conhecimentos científicos já consolidados. Em geral, são voltadas para curar e prevenir diversas doenças, que vão desde hipertensão arterial até depressão. De acordo com o Ministério da Saúde, a meditação é um exemplo de prática integrativa em saúde.

Tradicionalmente, pode-se dizer que meditar é a arte de se familiarizar com algo – no caso, com a própria mente. O sucesso da meditação depende da incorporação da prática aos hábitos diários, por isso, você vai precisar de organização e, claro, boa vontade para aproveitar seus benefícios. Como existem vários tipos de meditação, com métodos e objetivos distintos, fica fácil encontrar uma que lhe agrade. Ah, e a ciência garante: 10 minutos por dia já bastam para sentir os resultados.

Veja mais:

Hortoterapia: reconecte-se com a natureza e cuide da saúde
Hobbies fazem bem para a saúde, e quem diz isso é a ciência

O que meditação tem a ver com emagrecimento?

Já está comprovado que meditar todos dias pode aumentar o volume do cérebro e ativar áreas importantes que controlam a ansiedade e a depressão.

Uma vez que a obesidade e o sobrepeso são doenças consideradas multifatoriais, emagrecer não é mesmo uma simples questão de comer menos e se exercitar mais. Para ter sucesso no seu objetivo de perder peso, também é preciso considerar fatores genéticos, psicológicos, comportamentais, culturais, emocionais. E é aí que a meditação entra como aliada.

Uma pesquisa feita pela Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, comprovou o efeito positivo da meditação contra o estresse crônico e suas consequências nocivas, incluindo as alterações hormonais que mexem tanto com a metabolização de gorduras quanto com a regulação do apetite. Veja que são dois aspectos fundamentais a se considerar em caso de excesso de peso. Daí vem uma das ligações da meditação com o emagrecimento.

 

Mindful eating pode mudar sua relação com a comida

Cada dia mais popular, o hábito de praticar a atenção plena já tem seus efeitos na saúde investigados por muitas instituições científicas. A prática em si tem o conhecido nome de mindfulness. Quando usada no universo da alimentação, é chamada de mindful eating.

Em uma pesquisa com pessoas que estavam acima do peso, cientistas da Universidade McGill, no Canadá, observaram que aquelas que aderiram ao mindful eating conseguiram perder mais peso ao longo do tempo em comparação com quem se dedicava exclusivamente à conhecida dupla dieta + exercício.

Uma das explicações é que essa meditação voltada para o momento presente tem repercussão direta na nossa relação com a comida, permitindo uma reeducação alimentar por meio da ressignificação das emoções.

De acordo com os cientistas, isso abre caminho para uma postura mais harmônica e controlada durante as refeições – o que implica não apenas em menor ingestão de calorias, mas em melhores escolhas alimentares e maior facilidade para manter o peso depois do emagrecimento.

Veja mais:

Como a alimentação interfere na saúde emocional
17 fatos comuns que atrapalham na perda de peso

10 passos para praticar o mindful eating

  1. Durante as refeições, desconecte-se de qualquer meio digital ou analógico (como jornais e revistas, por exemplo). Sua atenção deve estar apenas no prato e no ato de comer.
  2. Sente-se à mesa de uma forma confortável e respire fundo várias vezes por alguns instantes antes de começar a comer: essa também é um forma de meditação.
  3. Como está o ambiente ao seu redor? Observe o entorno, tire o máximo proveito da companhia de quem está fazendo a refeição com você.
  4. Antes de começar a comer, dê atenção aos detalhes de cada um dos alimentos do prato. Observe cores, formatos, texturas, temperatura.
  5. Tente ficar com os talheres nas mãos o menor tempo possível. Descanse-os na mesa com mais frequência do que de costume. Isso vai ajudar você a apreciar cada momento com calma.
  6. Não tenha receio de fechar os olhos durante a mastigação. Isso pode ajudar você a praticar a meditação que mantém você no momento presente.
  7. Procure valorizar a comida que está no prato. Pense na origem e na cadeia produtiva que permite aos alimentos estarem à sua disposição. Agradeça por isso.
  8. Durante a refeição, tente fazer uma breve análise das suas emoções: veja se está confortável, se sente alegria, se tente algum remorso, se está ansioso...
  9. Independentemente da sua constituição física, não faça julgamentos sobre a comida com relação a nutrientes ou calorias, por exemplo.
  10. Tenha atenção aos sinais do seu corpo com relação à sensação de saciedade. Se perceber que o apetite cessou, pare de comer.

 

Quer ver dicas de saúde? Veja mais no blog da Care Plus e assine o canal da Care Plus no Youtube.