Levar marmita para o trabalho não pode mais ser chamado “modinha”, já que é um hábito que vem se consolidando. E não é à toa. Esse formato de refeição, além de mais econômico, incentiva o gosto pela culinária e o consumo de alimentos saudáveis.
Você sabia que, mesmo diante de toda essa variedade de frutas, legumes e verduras que existe no Brasil, de acordo com o Ministério da Saúde, apenas 36% da população consome esses alimentos regularmente (cinco vezes ou mais por semana)? É bem pouco. E o hábito de preparar a marmita tem colaborado bastante para virar esse jogo.
Se você ainda não entrou na onda ou tem dúvida de como manipular os alimentos ou não sabe bem como montar um bom cardápio, seus problemas acabaram!

5 passos para a higienização correta dos alimentos

O consumo regular de frutas, legumes e verduras tem papel fundamental na promoção e na manutenção da saúde, sendo essencial para uma melhor qualidade de vida e diminuir o risco de se desenvolver doenças como obesidade, pressão alta, diabetes e câncer.
É claro que, para ter todos esses benefícios, o primeiro passo é consumir alimentos limpos. Para isso, é essencial conhecer o processo correto de higienização (chamado sanitização). Vamos aprender?

    • Passo 1: retire as partes estragadas e machucadas das frutas, legumes e verduras, se necessário.

marmita

  • Posso 2: lave em água corrente.
  • Passo 3: coloque em solução de hipoclorito de sódio por 15 minutos. Outra opção é a água sanitária própria para uso em alimentos (veja no rótulo) na proporção de 1 colher (sopa) do produto para 1 litro de água.
  • Passo 4: enxague em água potável. Caso você não saiba ou não tenha certeza se a água é potável, não enxague.
  • Passo 5: seque os alimentos naturalmente ou com utensílios específicos antes de guardar. Para as frutas e legumes deixe escorrer bem a água, e para as verduras você pode utilizar uma secadora doméstica de folhosos.

Seja adepto do consumo consciente (e gourmet)

Lembra daquele primeiro passo do processo de higienização dos alimentos? Esse é o momento em que você pode fazer um grande favor à natureza, a si mesmo e até às receitas: aproveitar integralmente frutas, legumes e verduras.
De acordo com o Ministério da Saúde, esse aproveitamento integral “está relacionado ao uso desses alimentos como um todo, não desprezando nenhuma de suas diversas partes, como, por exemplo, talos de couve, rúcula e salsinha; folhas de beterraba, cenoura, couve-flor e brócolis; sementes de abóbora e melancia; e cascas, todos em bom estado para o consumo”.
Essas partes, que são muitas vezes descartadas, concentram grandes quantidades de vitaminas, minerais e fibras, nutrientes essenciais para a prevenção de doenças.marmita
Além disso, ao utilizá-las, é possível reduzir os gastos e produzir menores quantidades de lixo, o que cada vez mais tem sido importante para mantermos a saúde do planeta.
Como essas partes não mais desprezadas dos alimentos podem entrar no seu cardápio? Em bolos, pães, saladas, tortas e sucos. Ative o seu lado gourmet e vá à caça de receitas inusitadas. Pode ser uma excelente oportunidade de provar novos sabores e até impressionar os coleguinhas de trabalho com seus dotes culinários.

Hora de montar as marmitas!

As dicas a seguir foram elaboradas pelo time de nutricionistas do Ministério da Saúde e vão ajudar você não só a montar cardápios saudáveis, mas deixar sua comida ainda mais saborosa e, o mais importante, segura para o consumo.

  • Aposte nas versões integrais (com mais fibras), não abuse de óleos, gorduras e sal, e coloque mais cores no prato, deixando a refeição mais nutritiva.
  • Dê preferência aos alimentos frescos, da estação e para os comprados em feiras locais.
  • Monte a marmita pensando em um prato de mesa. 1/4 desse prato pode ser de arroz, 1/4 de feijão e 1/4 de carne. O último 1/4 é de salada.
  • Como fazer substituições para variar os cardápios? O arroz, carboidrato, faz parte do grupo das massas, então, pode ser substituído por batata ou macarrão. A carne, proteína, pode dar lugar a ovo, frango, peixe; enquanto o feijão pode ser substituído por grão-de-bico, ervilha, lentilha.
  • Congelar as marmitas pode ser ótima opção para quem vive na correria.
  • Verduras e legumes devem ser cozidos por menos tempo do que o habitual, pois alguns alimentos podem ficar mais macios quando congelados.
  • Use menos tempero antes do congelamento, para que, durante o processo de descongelamento, o tempero fique mais fresco.
  • Quanto mais rápido o alimento for congelado, menos tempo ele ficará em temperatura que favoreça o crescimento de microrganismos.
  • Ao congelar sua comida, lave bem os recipientes, verifique se estão bem fechados e dê preferência aos potes transparentes.
  • O alimento, depois de descongelado, não deve ser congelado novamente. Isso pode interferir na sua qualidade, aumentando o risco de contaminação.
  • Não descongele os alimentos em temperatura ambiente. Utilize o micro-ondas ou deixe o alimento na geladeira até descongelar.

 

Quer mais dicas para uma vida saudável? Veja o Blog Care Plus!