Gestores de RH podem ter muitas dores de cabeça na hora de gerenciar os planos de saúde empresariais. Isso acontece devido a sinistralidade que é o resultado do contrato, podendo ser negativa ou positiva.

Você pode ter resultados negativos quando, por exemplo, o plano é utilizado com alta frequência ou de forma incorreta.

Caso o benefício ultrapasse a margem estipulada em contrato, poderá ser aplicado um reajuste na renovação do plano de saúde empresarial.

Veja como é possível controlar a sinistralidade do plano de saúde empresarial com 4 ações.

 

  1. Reduza as visitas ao médico

Algumas das razões que implicam no resultado do contrato são a frequência com que os colaboradores vão ao médico para consultas, a realização de exames ou a passagem com profissionais que não fazem parte da rede credenciada.

Se essas ações, ou sinistros, são efetuadas com muita frequência, é natural que a sinistralidade aumente muito.

 

  1. Diminua as idas ao pronto-socorro

O que também tende a aumentar a sinistralidade do plano de saúde empresarial são idas ao pronto-socorro sem caráter de emergência.

Esses atendimentos geralmente envolvem custos muito altos. Além disso, torna-se um lugar perigoso pois expõe as pessoas à outras doenças mais sérias que estão circulando pelo local.

A ida ao pronto-socorro deve ser evitada toda vez que um procedimento que não seja de urgência ou emergência possa ser realizado de forma eletiva nos dias seguintes.

Boas operadoras de saúde se preocupam com a qualidade de vida de seus beneficiários e oferecem serviços diferenciados como: médicos na empresa, atendimento 24h e clínicas próprias.

Vale dizer que a Care Plus tem o Consulta Fácil (para atendimento clínico adulto e pediátrico), onde seus beneficiários podem ir até a clínica e se consultar sem pagar coparticipação. Trata-se de uma opção para quem não está com de alguma emergência.

 

plano de saúde

 

  1. Considerar a utilização de coparticipação no plano de saúde

A ideia é pesquisar para entender o que seria melhor para a empresa. Por exemplo, em um plano com coparticipação, o colaborador também deve pagar uma parte do plano de saúde. No final das contas, essa contratação ajuda a diminuir ou, pelo menos, controlar o aumento da sinistralidade, porque envolve a participação financeira do colaborador.

 

  1. Fique alerta ao dumping

dumping é uma prática enganadora, muito comum no mercado nacional e mundial. Trazendo a realidade do dumping para as operadoras de planos de saúde, o que acontece é o seguinte:

Para driblar a concorrência, algumas operadoras oferecem serviços similares por preço muito abaixo daquele que é realmente necessário para cobrir as despesas assistenciais. Ou seja, o valor do plano de saúde é bastante atrativo quando comparado com o preço de outras operadoras — o preço do plano pode ser até 15% mais baixo que o das concorrentes.

Mas essa estratégia é motivada pelo desejo de captar muitos clientes em função de uma rentabilidade mais satisfatória. O problema é que um plano com valor muito baixo não reduz somente a rentabilidade, ele pode comprometer o capital de giro e o pagamento pontual de todas as despesas.

O resultado disso é óbvio: para se sustentar no mercado, a operadora faz reajustes absurdos, aumentando muito o valor da sinistralidade a fim compensar o preço inicialmente cobrado.

 

Essas são algumas das melhores formas para um gestor de RH diminuir a sinistralidade do plano de saúde da empresa.

 

Quer ver mais dicas? Continue sua visita pelo blog da Care Plus.